Imprimir

O ambientalista João Otavio Malheiros, em nome do Conselho Diretor, esteve na manhã do dia 30 de outubro, na sede do Instituto Internacional Arayara, em Curitiba. O representante da Amavida foi recebido pelo ambientalista Juliano Bueno de Araújo, engenheiro, advogado e teólogo, que coordena o Instituto. Ele também é coordenador geral da COESUS - Coalizão Não Fracking Brasil pelo clima, água e vida, rede de organizações da sociedade civil que tem por missão interditar o uso da tecnologia do fraturamento para a extração de gás do xisto.

O Maranhão possui uma extensa área onde este tipo de rocha ocorre e a população e o ambiente natural do Estado já sofre o assédio de empresas interessadas na atividade, o que implica em estar sujeito aos impactos deletérios da utilização deste método destrutivo no meio ambiente, no solo agrícola, nos recursos hídricos, na fauna, na flora e na nossa espécie humana.


O diálogo iniciado neste primeiro contato busca a construção de uma parceria entre o Instituto Arayara, a Amavida, e as organizações da sociedade civil maranhense que atuam na defesa da sociobiodiversidade e são contrárias à economia predatória. Em breve, mais informações.